quinta-feira, 29 de abril de 2010

Home sweet home

Estou quaseee aí...

De volta ao velho Rock n´Roll e de volta a casa

"Fiel a um amor antigo...acabo sempre por voltar à casa a que gostaria de poder chamar um lar, entre euforia do regresso e o cansaço da viagem...digo entao BOM DIA LISBOOOAAA..."

segunda-feira, 26 de abril de 2010

A Gran Via faz 100 anos

25 de Abril de 2010




Pelo segundo ano consecutivo nao estive em Lisboa para as comemoraçoes do 25 de Abril.
Para mim é muito mais que um feriado e um dia bonito para estar no Centro Comercial. É uma alegria, um privilégio. É a minha festa nacional favorita. E nao me refiro a partidos comunistas, sindicalistas e outros tantos que sempre rimam com maricas. Falo da música que une as pessoas e das ruas coloridas pelo vermelho dos cravos. Do significado que tem nao só para Portugal mas também para as antigas colónias que, com razao, almejavam a Independência.

O 25 de Abril faz-me feliz e eu vou tentar passar essa alegria às geraçoes vindouras sem, no entanto, os julgar, caso nao se sintam interessados no assunto.

"Já lá vai Pedro Soldado Num barco da nossa armada E leva um nome bordado Num saco cheio de nada Triste vai Pedro Soldado ..."
Manuel Alegre

E agora, nuestros hermanos, los gallegitos, a cantar "Grândola, Vila Morena":

Pájaro de Papel




Pájaros de Papel é um filme magnífico, inteligente e sensível.
Retrata a vida do pós-guerra civil em Espanha, no seio de um grupo de artistas de teatro.

A forma como eram perseguidos por defenderem ideiais de Liberdade espelha a arrogância subjacente do Regime Totalitarista.E ,todos, movidos pela cobardia formam polícias treinadas para odiar e perseguir que, irónicamente, mais tarde, acabam por se tornarem no Calcanhar de Aquiles do sistema Totalitário. A violência que espalham acaba sempre por se tornar no veículo de consciência das multidoes.

Que o espírito de contestaçao nunca morra!

Saudade, segundo Neruda



Há momentos em que vale a pena para o tempo. Por exemplo, quando sentimos o estômago do cérebro apertadinho de felicidade quando estimulado por uma conversa interessante.

Saudade -Qué será?... yo no sé... lo he buscado en unos diccionarios empolvados y antiguos
y en otros libros que no me han dado el significado
de esta dulce palabra de perfiles ambiguos.

Dicen que azules son las montañas como ella,
que en ella se oscurecen los amores lejanos,
y un noble y buen amigo mío (y de las estrellas)
la nombra en un temblor de trenzas y de manos.

Y hoy en Eca de Queiroz sin mirar la adivino,
su secreto se evade, su dulzura me obsede
como una mariposa de cuerpo extraño y fino
siempre lejos -tan lejos!- de mis tranquilas redes.

Saudade... Oiga, vecino, sabe el significado
de esta palabra
blanca que como un pez se evade? No... Y me tiembla en la boca su temblor delicado. Saudade..

Pablo Neruda

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Crise Grega?????

Faz agora 1 ano que eu e mais 4 espanholitas estávamos em "crise" Grega...uma crise cheia de encanto, sorrisos e História...

Há boa maneira ibérica só agora chega o video:

video

crónica antecipada de mais um fim-de-semana


(Parque El Retiro, Madrid)

Depois de me ter informado dos preços de autocarro ida e volta, no mesmo dia, para Évora e ter constantado que sao um roubo decidi ficar em Madrid este fim-de-semana.
Nao tenho vontade. Por 1001 motivos, o tempo em Madrid passa demasiado devagar. Cada hora tem 100 minutos multiplicados por 100 horas que tem cada dia. E eu, vejo o tempo passar, sem vontade de passar com ele...enfim, padeço de uma tremenda falta de animo que, espero, seja momentânea...Mesmo assim, nao deixo de tentar fazer boas memórias e sei que um dia me vou sentir péssima por ter permitido este vendaval na minha vida.

Hoje à noite, motivada por ímpetos de PAZ, aceitei o convite do meu companheiro de casa para partilhar o jantar com ele. Claro, pelo sim, pelo nao, convidei também uma amiga minha nao vá o Senhor Nosso Deus tecê-las...Depois do jantar, vou com um grupo de chicas pela La Movida e espero encontrar-me com um dos grandes vultos da minha História recente: Adan Cassan. Um argentino, radicado em Barcelona e residente em Lisboa há já 3 anos com quem partilho longas horas de conversa e (in)confidências.



No Sábado vou tentar reaprender a andar de bicicleta. Dizem que nunca se esquece mas eu tenho as minhas dúvidas e, depois, ao final da tarde vou-me encontrar com um jovem arquitecto que aprende português nas caixas dos cereais de pequeno-almoço. E como aprende, ora vejam:

"Olá, Sónia:

Muito obrigado pela clase do portugués (mais espero que sea gratis).

Voçe sabe onde é que aprendo muitas palabras? Nas caixas dos cereáis!

Ja sé decir: milho, floco, leite, açúcar .... o vosso é um idioma muito saboroso.

Aprendo mais palabras no pequeno almoço que nos libros do Saramago o Lóbo Antunes, jeje."



Como estou apaixonada pelo cinema espanhol vou tentar ver o filme "Que se mueran los feos". Parece-me divino além de ter muito bons actores.

Também me sinto muito motivada para fazer caminhadas. Além de me tranquilizarem bastante o espírito o efeito na cintura é notório :)

Segunda-feira conto-vos. Contem-me vocês também. Até lá BOM FIM-DE-SEMANA







¿¡E esta hein?!

O Facebook tem destas coisas...estava eu a actualizar-me das novidades nos muros dos "amigos" quando surge, nas sugestoes, uma tal Sónia Garrido...fiquei chocada e mal disposta.
Pensava eu que Sónia Garrido só havia uma, eu e mais nenhuma...

segunda-feira, 19 de abril de 2010

uma questao de quadradinhos



Ainda estou para saber como é que algumas pessoas conseguem fazer durar 1 tablete de chocolate mais de 1 mês...Ora tiram um quadradinho, ora tiram outro...vao embrulhando e desembrulhando lentamente a prata, comem o quadradinho devagarinho como se tivessem pena de o comer. E pior: conseguem raciocinar normalmente e estar em casa tranquilinhos sabendo que dentro da gaveta têm tamanha preciosidade.

Chegam a casa, depois do trabalho, e a primeira coisa que fazem é tirar os sapatos e depois fazer xixi, vestir o pijama e sentarem-se em frente ao PC a actualizar a caixa de correio. Entretanto já passaram dezenas de vezes em frente à tal gaveta que contem o "tesouro" e nem sequer se sentiram provocados...

MAS COMO?

Claro que estas pessoas nao têm borbulhas como a que eu tenho hoje entre as sobrancelhas( e também nao têm remorsos...)

Insolência do ano!



Ontem, no W.C do cinema, esqueci-me de um saco verde e da caixa dos meus óculos no pendurico.Quando me lembrei, quase 3 horas depois, dirigi-me ao staff convencidíssima de que alguém os tinha entregue. Fiquei para morrer quando me disseram que ninguém tinha entregue os meus pertences franciscanos.

Mas quem é que coño vai ficar com um saco verde ervilha que deve ter o valor comercial de 0.02€ e com uma caixa de óculos ruída e velha??E a esta gente nao lhes pesa a consciência?

Que insolentes!

sábado, 17 de abril de 2010

"Adeus um dia voltarei a ser feliz"

N.A: Escrevi este post, reli-o e achei uma estupidez...e eis que vi no muro do FB a música "Fácil de entender", dos The Gift. Movida pela coincidência do "acaso" decidi publicar. Se nao me entenderem escutem o poema da música .

Todas as histórias de amor têm um principio, um meio e um final. Mesmo quando nao têm final, nós imaginamo-lo e, tratando-se de uma história de amor , tendenciosamente imaginamos um final bonito, simpático e feliz.

Há tambem algumas histórias que nao tem final mas com as quais nós convivemos perfeitamente porque o final das mesmas nao nos interessa!

Esta história era, para mim, completamente diferente das que tinha vivido até entao. Era algo especial e marcante e eu estava vazia por dentro porque nao lhe podia dar um final. Sentia-me igualmente triste porque quando o imaginava só me ocorriam ideias negativas que destruiam, de todo, a recordaçao que me restava.

Sentia-me perdida sem o DIREITO ao meu final, fosse qual fosse e, sem a partilha de ponto de vista. É como estar queimado por dentro.

Agora que, finalmente, obtive a resposta que procurava nao estou menos triste, nao me sinto fresca como antes mas já nao me sinto tao vazia. Posso respirar fundo que o ar já circula com menos tensao. Sorrir também nao sorrio tanto mas tenho esperança de algum dia fazer parte de outra história, num outro livro ou, quiza, no mesmo, sem ter de lutar tanto pelo meu direito a conhecer o que se passa na minha vida.

O final foi como que eu esperava... Se gostava que houvesse um segundo capítulo? Sim, gostava muito mas esta história foi em tudo diferente e por isso também eu me sinto diferente. Pela primeira vez, tenho medo de ser brindada com uma dose dupla de devastaçao interior e de perder novamente o mapa da minha vida.

Está uma noite escura e chuvosa em Madrid.
Deixo-vos com meio sorriso...

quinta-feira, 8 de abril de 2010

VOLEM UN BARRI DIGNE



Nalguns bairros de Barcelona os habitantes põe nas varandas uma faixa de lona com a mensagem "Volem un barri digne" (queremos um bairro digno).

Instigada pela curiosidade perguntei a uma funcionária de um café qual era o objectivo da mensagem. Ela, simpática e cheia orgulho da explicação que se ia seguir, contou-me que a mensagem é um apelo desesperado dos moradores para que a "escumalha"seja expulsa do bairro(entenda-se por escumalha os vendedores ambulantes que deixam as ruas sujas de sacos de plástico e caixas de cartão inutilizadas). A simpática funcionária mencionou ainda- creio que não casualmente- que são maioritariamente imigrantes ilegais e ciganos.

Embora não ponha as mãos no fogo por ninguém parece-me uma injustiça e preconceito a forma como a situação está a ser gerida pela sociedade:
ponto 1. o imigrantes não vendem a si próprios logo a culpa não é deles mas tão somente nossa que lhes compramos e perpetuamos a sua presença ilegal nas ruas
ponto 2. Se roubam é porque roubam! Se trabalham é porque trabalham!irrraaaaa!!! Afinal que queremos nós? Fomentar a existência de parasitas sociais? Deixá-los a morrer de fome? Dar-lhes esmola aos Domingos para nos sentirmos bem com a nossa consciência? Recambiá-los para o país de origem porque vendem cópias do próximo cd do Paulo Gonzo, que ainda nem está no mercado mas que alguém, que não eles, roubou para comercializar no mercado negro?

E o mais irónico é que possivelmente algumas destas pessoas que reclamam um bairro digno são talvez daquelas que têm baratas em casa por falta de higiene ou que arrastam movéis às 2h da madrugada sem se preocuparem com o vizinho de baixo!!!

Ai, velha Europa das luzes e dos filósofos, que arrogante e mesquinha te tornaste!!

Muito Obrigada Pessoa*

Apontamento

A minha alma partiu-se como um vaso vazio.
Caiu pela escada excessivamente abaixo.
Caiu nas mão da criada descuidada.
Caiu, fez-se em mim pedaços do que havia loiça no vaso.

Asneira? Impossível? Sei lá!
Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu.
Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir.

Fiz barulho na queda como um vaso que se partia.
Os deuses que há debruçam-se do parapeito da escada.
E fitam os cacos que a criada deles fez de mim.

Não se zanguem com ela.
São tolerantes com ela.
O que era eu um vaso vazio?

Olham os cacos absurdamente conscientes,
Mas conscientes de si mesmos, não conscientes deles.

Olham e sorriem.
Sorriem tolerantes à criada involuntária.

Alastra a grande escadaria atapetada de estrelas.
Um caco brilha, virado do exterior lustroso, entre os astros.
A minha obra? A minha alma principal? A minha vida?
Um caco.
E os deuses olham-o especialmente, pois não sabem porque ficou ali."

Fernando Pessoa







*1 milhão de Obrigados não serão suficientes para exprimir a minha gratidão ao génio. Continua a ensinar-me e a mudar-me

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Viagem a Barcelona


(fonte:olhares.pt)

Barcelona proporcionou-me 1 sensação incrível de calma, bem-estar e familiaridade pela presença do Mar. Sabia que era cidade costeira porém não imaginava que estivesse literalmente casada com o Mar. É como se no Terreiro do Paço existisse praia.
Assim, é uma cidade muito completa porque se pode alternar facilmente entre passeio cultural e diversão balnear porque a praia está logo ali a 5 minutos do Bairro Gótico e no final das Ramblas.

A não perder:
- El Raval (tem uma pitada de bairrinho lisboeta)
-Parque Guell
- Sagrada Família ( a inacabada obra de Gaudi. É muito impressionante mas é dificil admirá-la pela quantidade de turistas e pelo aglomerado de gruas e andaimes etc...)
-Bairro Gótico ( também tem alma de bairro pequeno e aconchegante mas mais sombrio e,portanto, mais místico)
- Barceloneta, Rambla de Mar e todo o passeio marítimo
-um bar incrivél, boémio mas tranquilo: Le Gens que J´aime ( C/Valencia)
-uma discoteca com boa música electrónica alternativa: La Macarena (no Gótico)
-todo o Passeio de Gracia, onde entre outras relíquias, estão a Casa Batló e a Pedrera
-as Ramblas, uma rua enorme e charmosa cheia de pequenas lojas e animações de rua.É muito dificil ver qualquer coisa pela quantidade de gente que há a todas as horas e todos os dias.

Conclusão:
Agora que conheço as 2 maiores cidades espanholas, rivais entre si em tantas coisas não posso evitar o lugar comum de compará-las. Concluo, pois, que os catalães são, sem duvída, mais simpáticos e acolhedores que os madrileños. Falam mais devagar, mais baixo e, sobretudo, esforçam-se por entender os estrangeiros que tentam falar castellano com mil e um sotaques diferentes. Não obstante, senti falta do "tapear en la barra" e das ruazinha fantásticas e soleadas de Madrid.
Barcelona tem um encanto incrível que na minha óptica- cada vez mais nostálgica- de portuguesa e de Lisboa lhe é conferido pela presença do Mar: o cheiro, a cor, o som...Para mim foi alucinante estar outra vez perante um cenário que apela à contemplação.
Ainda assim contínuo a preferir Madrid e oxalá pudesse misturar as duas cidades. Podem imaginar ao fundo do Rastro um mar imenso e apelativo???

Custos:
-Voo Madrid/Barcelona ida/volta com a Ibéria (23kg de bagagem incluídos)=80€
-Bilhete de 10 viagens para todos os transportes públicos=7.85€
-Hostel Grafitti, a 2 minutos da Sagrada Família=26€/2noites

Livraria Altai



Altair é a livraria que eu quero quer ter quando for grande.

Especializada em livros de viagens, tem uma atmosfera incrível! As prateleiras são grandes, altas e de madeira escura, o que lhe confere à partida um ar rústico e acolhedor.
Há muitos, muitos livros, não só os típicos livros de bolso de diferentes editoras, com as dicas convencionais de viagem (onde, como, quanto), como também relatos de viagens , diários de bordo, mapas e mapinhas.

De louvar a secção de WorldMusic que tem mesmo música de todo o mundo.
Hoje,por exemplo, entrei para procurar livros sobre Moçambique e fiquei fascinada com a música ambiente. Para minha surpresa, o funcionário disse-me que era Lura, de Caboverde.
Aprecei-me,claro, a elogiar sem limites a música caboverdiana. Ele falou-me de Sara Tavares e eu expliquei-lhe que é portuguesa e que ganhou o Eurovisão 1994. Ele não ficou convencido e eu também não porque sei perfeitamente que a Sara Tavares se sente 100% africana. N´ka problema porque d-e c-e-r-t-e-z-a que vou voltar à loja e aproveito para esclarecer o mal entendido motivado pelo excesso de orgulho nacionalista. Desculpas o mujimbo Sarita?

Fiquei também com a sensação que os funcionários estão empiricamente informados, i.e, selhes perguntarmos alguma informação de um longíquo São Pedro de Espada à Cinta, no Afeganistão, estou quase segura que eles têm alguma sugestão para fazer.

Visitem o site: www.altair.es
ou venham conhecer a loja de Madrid na Calle Gaztambide, 31.

Latinices

Sabemos que estamos num pais latino quando, entre outros 1001 aspectos culturais, estamos numa pastelaria e entre a dúvida de comer 1 fatia de bolo maçã e uma fatia de tarte de tangerina, o empregado nos sugere "pues pide lo que te provoque más"!!